Fluxo Soluções
 / setembro 2021

Tecnologias 4.0 no setor de engenharia industrial e construção pesada

Por Telmo Ghiorzi

Os últimos dois anos ficarão marcados na história do Brasil pela quantidade e intensidade de desafios que nos foram impostos. Mas também pelas expectativas e trajetórias de superação e sucesso que nos foram abertas.

Se de um lado temos a pandemia e a crise hídrica, de outro temos o Novo Mercado de Gás e os avanços regulatórios em infraestrutura, sobretudo em saneamento e transporte. As novas oportunidades abertas nestes setores, somadas aos valores previstos nos setores com histórico consistente de crescimento, como, por exemplo, o petrolífero, indicam que nos próximos 10 anos o Brasil vai receber mais de R$ 10 trilhões em investimentos.

Parte expressiva destes investimentos será direcionada às empresas brasileiras de engenharia industrial e construção pesada (E&C). Apesar de também terem enfrentado grandes desafios, elas preservaram os recursos que, merecidamente, deram-lhes a reputação de competência, de capacidade de inovar e, portanto, de competitividade.

Essas competências são habilitadoras de uma transformação que, por ser essencial para aumentar a produtividade do setor e assegurar seu crescimento sustentável, é imperativa e inadiável. Trata-se da transformação digital, ou da incorporação de tecnologias da indústria 4.0 na atividade de E&C. A atividade de manufatura avançou com mais celeridade neste processo. O setor de serviços em geral e, em particular, serviços de E&C, avançam mais lentamente. Contudo, outros países e suas empresas de E&C já estão progredindo nesta trajetória.

É sobre os pilares acima descritos, que as entidades ABEMI, Deloitte, Instituto de Engenharia e SINICON criaram o Programa Brasileiro de Engenharia e Construção 4.0, o ProEC4.0. A representatividade e a afinidade destas entidades com as empresas de E&C dão a elas condições para contribuir de modo decisivo na pavimentação da trajetória da transformação digital do setor, com a utilização de tecnologias 4.0.

Iniciativas ProEC4.0

O ProEC4.0 constitui-se de três iniciativas que, combinadas e articuladas entre si, vão contribuir para elevar e manter o padrão de produtividade e competitividade das empresas de empresas de E&C.

A primeira delas trata de demarcar e obter indicadores econômicos e tecnológicos sobre o setor. Apesar de presente e ativo há séculos no país, dados específicos e exclusivos sobre empresas de E&C são escassos e imprecisos. Essas informações, uma vez que estejam disponíveis e sejam confiáveis, precisam ser atualizadas regularmente. Elas são absolutamente indispensáveis para aumentar a qualidade da interlocução com os demais atores econômicos e, assim, aprimorar a formulação e implantação de políticas públicas favoráveis ao setor.

A segunda iniciativa é a priorização de políticas públicas que sejam indutoras da transformação digital das empresas brasileiras de E&C. Embora seja tema controverso, as evidências sugerem que o papel do estado como indutor de crescimento econômico é essencial. É evidente também que instrumentos protecionistas são ineficazes. Estudos recentes sugerem que políticas eficazes devem ter foco em complexidade tecnológica (e.g., transformação digital), em exportação e requerer contrapartidas de desempenho das empresas.

A terceira iniciativa é o Núcleo de Engenharia e Construção de Sorocaba, o NECSOR. A ser implantado dentro do Parque Tecnológico de Sorocaba (PTS), a cerca de 95 km de São Paulo, o NECSOR vai concentrar três grandes atividades:

  • Formar profissionais aptos a desenvolver tecnologias 4.0 em E&C. O PTS tem vínculos com mais de 10 entidades de ensino.
  • Demonstrar o uso e aplicação de tecnologias 4.0 em E&C. O NECSOR conterá um “canteiro digital”, com mais de 4 mil m2 disponíveis para realizar testes e para se vivenciar a realidade dos elementos da E&C4.0.
  • Trazer a resolução, por meio de inovação aberta, isto é, cooperação entre empresas de E&C, desenvolvedores de tecnologias e universidades, de problemas trazidos por empresas de E&C. A resolução de problemas está na raiz do desenvolvimento de inovações e, mais relevante, do desenvolvimento da cultura da inovação.

As ações do ProEC4.0 estão em curso, com muitas etapas já superadas. Contudo, a ambição de levar empresas brasileiras de E&C à posição de referência internacional em competitividade requer esforços continuados de cooperação entre diversos atores.

Telmo Ghiorzi é doutor em políticas públicas pela UFRJ, pós-doutor em administração pela FGV, mestre em engenharia de petróleo pela Unicamp e engenheiro mecânico pela UnB. Possui mais de 30 anos de experiência em Óleo & Gás, Engenharia & Construção e outros setores industriais, em empresas como Azevedo & Travassos, UTC, Aker Solutions, Camargo Correa, Emerson, Shell e Air Liquide. Atualmente é Diretor de Relações Institucionais da ABEMI.

Outras Publicações